sexta-feira, 23 de novembro de 2007

4º CAPÍTULO: BATALHA DOS DEUSES.


O homem encapuzado se vira para Hércules.
(...) : Não parece que você lutou com eles... (Ele joga o báculo de Ártemis no chão) Hércules! Isto esta errado! O que houve com minha irmã gêmea Ártemis? Hércules responda!

Nesse instante nas ruínas do palácio de Manon. Shion de Áries entra no que restou da sala do trono do filho de Lúcifer. Havia pedras para todos os lados e ao centro uma imensa cratera.

Shion (Impressionado): - Não pode ser... (Olha alguns metros em sua frente e lá estava a entrada do Olimpo) Ele retornou! Athena e os cavaleiros correm perigo o que poderei fazer?


No bosque.

O homem coloca a mão no capuz e o retira. E revela seu rosto. Era o deus sol Apollo.
Apollo: O que esta havendo Hércules? VAMOS! REPONDA ME!
Hércules: Eu derrotei Ártemis! (De um tom bastante sério)
Apollo (Com uma expressão de raiva): O que? (Fechando a mão direita e levando-a próximo ao rosto) Como disse? Mas por que você derrotou minha irmã? Qual propósito para sua atitude?
Hércules: Apollo Ártemis estava errada assim como Zeus em destruir a humanidade. Sei que por ordens dele eu vim guardar a entrada do Olimpo. Mas ao ver a determinação de Athena e de seus corajosos cavaleiros percebi o quanto Zeus e Ártemis estavam errados. Por isso mesmo que a derrotei.

Apollo: Você desobedeceu às ordens de Zeus! Mas o que se pode querer de um humano como você. Foi um erro aceita-lo aqui do Olimpo. Recordo-me muito bem do dia em que...

Nesse momento Apollo se lembra do momento que Hércules trazia até ZEUS um jarro. O deus supremo do Olimpo estava sentado em seu trono. Hércules se ajoelha e ergue o jarro. Sua armadura era simples como dos simples soldados do Santuário.
Hércules: - Ó grande e poderoso senhor e deus supremo do Olimpo. ZEUS... Como prometido, trouxe a alma de Hera.
Zeus estende sua mão esquerda já que a direita segurava seu báculo: - Corajoso Hércules... Meu filho! Você provou hoje sua lealdade a mim. (A mão de Zeus começa a brilhar)
Receba nesse instante o cosmo de um deus. E este cosmo esta coberto de minha gratidão por sua bravura. A partir desse momento você também é um deus.

O corpo de Hércules começa a brilhar. Ele fica de pé. Seu corpo emana um poderoso cosmo.

Zeus: - Mas lembre-se! Você terá de obedecer as minhas ordens...
(O senhor do Olimpo fica de pé e faz um movimento com a mão esquerda. O jarro com a alma de Hera começa a brilhar e flutua até a direita do trono. E lá fica.)

Atrás de uma das colunas do templo. Estava Apollo. Ele olhava de uma forma que era possível perceber revolta.

Hércules se ajoelha novamente e diz: O todo poderoso Zeus. Honrarei esse momento com minha vida. Servirei ao Senhor daqui para frente... (Agora com um tom de voz bastante baixo)Pai!

Zeus senta em seu trono move a cabeça concordando com as palavras de Hércules. Apollo sai de onde estava e vem caminhando até próximo de Hércules. Zeus olha de forma seria e diz: O que deseja Apollo?
Apollo se ajoelha e responde: - O deus supremo do Olimpo. Sinto em dizer que esta cometendo um grande erro!
Zeus com uma expressão de raiva: - Quem é você para dizer que estou cometendo um erro! (Dois raios batem no chão/A voz de Zeus soa como um trovão)
Apollo olha para ele: - Esta cometendo sim um erro. Ele é um humano. E não é digno de ser um deus!
Zeus: - Cale a boca Apollo! Ele provou ser fiel a mim! (Aponta para o jarro) Vê esse jarro?
Apollo observa.
Zeus: - Neste jarro esta a alma de Hera.
Apollo: - O que? A alma de Hera!
Zeus: – Sim! Hércules a derrotou, pois ela com suas ambições e vaidades desobedeceu minhas ordens. E como prova de minha gratidão dei a ele o poder de um deus.

Apollo: - Mas ele é um humano, não pode ser um deus!
Zeus: - Mas para mim Apollo... Nada é impossível! Retire-se Apollo!

Apollo se levanta e olha bem para Zeus: - Athena já se rebelou contra você! (Olha para Hércules) E ele será o próximo!
Zeus faz um movimento rápido com a mão direita sem ao menos se levantar. Relâmpagos saem de sua mão e atingem Apollo em cheio que é arremessado a uma boa distância. Esse ataque não chega a ferir o deus sol, porém o deixa furioso.

Zeus: - Apollo... Se eu quisesse te destruir agora... Poderia tê-lo feito.


Agora em frente a Hércules no bosque.

Apollo: - Desde aquele dia. Eu imaginava que você se juntaria a Athena para defender os humanos. Você merece ser castigado e destruído como toda humanidade! Você traiu as ordens de ZEUS!

Hércules: O coração de vocês é que estão cheios de pecados. As pessoas possuem em si o amor umas pelas outras. Existem falhas sim! Não sãos os deuses que devem julgá-los.
Apollo: JÁ CHEGA HÉRCULES!
O deus sol começa a elevar seu cosmo. Fazendo assim um brilho solar magnífico emanar de seu corpo. Suas roupas desintegram e revela sua armadura. Uma kamui dourada protegendo o corpo. Essa armadura possuía a imagem do sol que ficava nas costas do deus http://www.burningblood.it/saintseiya/fanart-images/ss-th-apollon.jpg
Hércules (Pensando):- Que cosmo poderoso!

Apollo: Hércules você pagará pelo que fez com Ártemis e por desobedecer às ordens de
Zeus! Vamos ver se o cosmo que você possui será mais forte que o meu! Provarei a ZEUS que um humano não é digno de se tornar um deus. Mesmo que ele tenha provado sua lealdade. Mas os humanos jamais serão leais, pois são pecadores.

Hércules pensando: - Não posso ser derrotado por Apollo! Tenho de prestar atenção no que ele utilizará de técnica contra mim.

O deus sol eleva de forma surpreendente seu cosmo. Como sua energia é a mesma do sol ele faz com que as árvores fiquem carbonizadas.
Apollo: - Hércules você deve saber que o astro rei do sistema solar. Emite uma energia chamada de explosão solar e essa esfera (Surge uma esfera brilhante em sua mão direita) esta contida com essa energia.
Hércules olha apreensivo.
Apollo: - Mesmo você sendo um deus não suportará esse meu ataque!
Hércules: - Você não me vencerá facilmente Apollo!
Apollo: - Isso é o que veremos! (Ele eleva seu cosmo e arremessa a esfera) {{{EXPLOSÃO SOLAR}}}
Hércules: O que? (Impressionado)

Apollo arremessa a esfera que quanto ia atingir Hércules que tentava se proteger utilizando as mãos. A esfera acaba explodindo. Ele é arremessado longe. Quando atinge o chão ele chega abrir uma fenda com seu corpo arrastado devido a tamanho poder do ataque de Apollo.
Fica tudo enfumaçado a frente de Apollo. Mas já é possível ver a imensa cratera em sua frente. Feita com a explosão solar.
Com os olhos fechados: - Era o que eu imaginava! Não seria pariu para meu poder.

Hércules: Não diga bobagens Apollo!
Apollo: O que?

A fumaça ia se dispersando e já era possível visualizar Hércules caminhando até próximo da cratera feita com a pressão da explosão.
Hércules: - Apollo! Eu estou determinado a ajudar Athena e seus cavaleiros a destruir as ambições diabólicas dos deuses.
Apollo: - Não compreendo como você consegue ficar de pé depois desse ataque!
Hércules: - O que foi Apollo esta com medo?
Apollo: - Jamais! Eu mostrarei a você que não é digno de estar no Olimpo!

Distante dali!

Os cavaleiros encontram mais um jardim florido. Mas estava dividido por um caminho em ouro e muros feitos da mesma matéria e ao fundo uma pequena colina com um templo sobre ela. Havia nos dois lados estátuas. Do lado direito era a imagem do sol e do outro uma lira.
Shun: - Vejam amigos! Estamos chegando ao terceiro templo.
Shiryu: - E mais uma vez um belo lugar. E este jardim é encantador.
Seiya: - Sim mas vejam aquelas estátuas. Ali tem a imagem do sol e do outro uma lira.
Ikki: - Na batalha contra Hilda em Asgard. Eu e Shun enfrentamos um cavaleiro que tocava uma lira. Seu nome era Mime... Ele era um grande guerreiro!
Shun: - Assim como no reino de Hades conhecemos Orfeu! E seu drama para viver ao lado de sua amada Euridice.
Hyoga (Com Saori nos braços): - Quem você disse Shun... ORFEU! Tudo se encaixa. Aqui só pode ser o templo do deus sol... APOLLO!
Seiya: - Mas o que você quer dizer entre Apollo e Orfeu? Hyoga.
Hyoga: - Isso mesmo Seiya! Na mitologia Apollo é o deus sol e esta ali a estátua com a imagem do sol. Já a estátua com a Lira. Apollo também tocava belas músicas com sua lira presente que lhe foi dado por Zeus e alguns dizem que ele seria pai de Orfeu.
Shun: - Mas como um cavaleiro que servia a Athena pode ser filho de Apollo que queria destruir Athena e a humanidade?
Hyoga: - Como eu disse Shun. Dizem! Não há uma comprovação sobre isso.
Seiya: - Então se aqui é o templo de Apollo. Deverá estar vazio!
Ikki: - Bem amigos! Vamos atravessar logo esse templo.
TODOS: SIM!

Eles seguem até o templo de Apollo.

Enquanto isso Hércules eleva seu cosmo e Apollo faz o mesmo.

Hércules: - Apollo lhe mostrarei o que a justiça é capaz de fazer contra sua maldade. Eu também sou um deus e desta luta sairá um vencedor. Ou nos destruiremos.

O punho direito de Hércules brilha de uma forma impressionante. O deus sol parece não se intimidar com isso. Mas Hércules num movimento rápido aplica seu ataque no chão. {{{PELA FORÇA DOS DEUSES}}} Com isso várias fendas se abrem no chão em seguem em seqüência em altíssima velocidade até Apollo. Ele percebe o ataque e tenta se esquivar. Mas a velocidade do ataque aumenta cada vez mais. Bem diferente do golpe aplicado contra Hyoga,Shun e Shiryu.
Apollo: - Mas o que? O ataque de Hércules esta aumentando sua velocidade! Mas como isso é possível!
O deus sol é atingido inúmeras vezes, sendo arrastado pela força do golpe aplicado por seu oponente. Quando para ele se ajoelha. E diz: - Que golpe impressionante se não fosse minha armadura já estaria morto.

Apollo fica de pé: - Belo ataque Hércules mas apenas me fez recuar... Não surtiu efeito contra mim.
Hércules: - Você tem certeza disto?
Apollo: - O que?

Ele olha e se surpreende. Existiam arranhões em algumas partes de sua armadura. Na parte do peitoral, pernas e braços. E exclama: - Isso! Isso é impossível! Minha armadura foi danificada?
Hércules: - Não somente sua armadura mas dessa vez destruirei você!

Hércules corre para cima de seu adversário.
- Receba meus golpes. (Dessa vez os punhos de Hércules emanam uma energia diferente como uma descarga elétrica)
Apollo percebe olhando de uma forma surpresa e diz: - Mas isso é...

Hércules já estava lá e atinge no rosto com um potente soco. E segue com uma seqüência assustadoramente rápida no rosto e estômago de Apollo, que não demonstra reação. A cada soco de Hércules a eletricidade é perceptível. Ele finaliza com um duplo soco. Utilizando seus punhos. Apollo é arremessado mais uma vez para trás. Porém permanece de pé. Olha para Hércules sem dizer uma palavra e em sua boca há um sangramento.

Apollo dá uma risada meio seca.
Hércules: - O que há de engraçado?

Nesse instante no Santuário de Athena.

Shion esta retornando para antiga sala mestre. Seu semblante é de preocupação. Ele escuta passos e olha. Era Kanon de gêmeos que entrava.
Kanon: - Shion o que esta acontecendo? Todos os cavaleiros de ouro sentiram um poderoso cosmo surgir e em seguida sair do Santuário.
O cavaleiro de Áries olha para Kanon e diz: - Apollo retornou ao Olimpo.
Kanon: - O que? Mas Seiya não o havia derrotado?
Shion: - Bem que eu imaginei que aquela suposta derrota estava muito estranha. Mesmo com a determinação de Seiya, dos outros cavaleiros e Athena. Apollo é um deus muito forte.
Shion olha para saída da sala. E diz: - Tudo que nós temos de fazer é torcer para que eles derrotem os deuses... Não poderemos fazer nada!
Kanon: - Mas como? Com Apollo de volta todos eles correm perigo inclusive Athena!
Shion: - Kanon! Athena nos ordenou que ficássemos no Santuário. Zeus de alguma forma deve atacar a humanidade. Achando que a mesma esta desprotegida, devido Athena ir ao Olimpo.
Kanon: - Todas as casas estão protegidas. Ficarei aqui com você afinal já que lá e a entrada do Olimpo. Quem vier atacar o Santuário pode começar de cima para baixo.
Shion: - Sim! Obrigado por sua ajuda... Amigo!

Kanon abre um sorriso e Shion corresponde.

No vilarejo.

Marin continuava sentada na cadeira olhando alguém dormindo. E esse alguém começa se mexer na cama e a chamar o seu nome!
Uma imagem turva. Marin era atacada por um cavaleiro de armadura negra. Ela estava lutando nisso surge Tohma correndo gritando seu nome. Ela vira para o irmão e diz para que ele se protege-se. O inimigo aproveita e a atinge pelas contas e ele grita: MARIN!

Agora ele acorda e levanta falando o nome de Marin. Era Tohma seu irmão.
Marin corre e senta ao lado dele. Ele esta com o peito nu e sem a mascara. Marin diz: - Tohma! Irmão acalme-se foi apenas um sonho!
Tohma: - Marin minha irmã. Não quero perde-la mais... Sei que foi um sonho mas parecia real... Onde estão o Seiya e os outros?
Marin conversou com ele o que ocorreu desde que foi atingido pela flecha de prata de Ártemis. E que Athena a retirou e ele adormeceu deste então. Com a batalha contra Manon, ela e os cavaleiros entraram em combate contra as ambições do filho de Lúcifer. E que os poucos aldeões que ficaram levaram ele adormecido para um abrigo. E agora que esse mal foi vencido. Ela soube através de Shion que Athena e os cinco cavaleiros foram ao Olimpo. E que Apollo havia sido derrotado por Seiya.
Tohma se assusta: - O QUE? ATHENA E APENAS OS CINCO CAVALEIROS FORAM AO OLIMPO? (Ele se levanta e cai)
Marin: - Tohma acalme-se!
Tohma: - Marin os deuses são muito poderosos e cruéis. Lá os seus cosmos estão no 9º sentido! E não acredito que Seiya tenha derrotado Apollo. Ele é um dos mais fortes deuses!
Marin: - Pelo que sei o cosmo de Athena se fundiu com o dele no ataque final contra ele.
Tohma: - Porém não acredito! (Olha nos olhos de Marin) Irmã! Deixe-me ir! Preciso retribuir a Athena o que ela fez por mim. Tenho de ficar de pé. Estou há muito tempo fora de ação. Isso é errado... E preciso ir ao Olimpo.
Marin: - Mas isso é impossível os cavaleiros de ouro não foram para lá, pois não usavam uma armadura Kamui.
Tohma: - Irmã! Eu vim do Olimpo. E posso retornar para lá. E a partir de agora... TAMBÉM SOU UM CAVALEIRO DE ATHENA! (ELEVA SEU COSMO E SUA ARMADURA VESTE O SEU CORPO* aparece àquela imagem da armadura se encaixando em seu corpo) E lutarei ao lado dela, de Seiya e dos outros pela justiça... Não permitirei que ZEUS castigue essa linda humanidade.

Tohma vai até a porta e a abre pela metade e olha para Marin e diz: Irmã se cuide... Proteja o Santuário junto com Shina e os cavaleiros e ouro.
Quando ele saia às pessoas do vilarejo param e o olham com espanto. São pessoas de aparência simples, pelas vestimentas. Mas logo começam a sorrir ao vê-lo de pé e recuperado.
Tohma diz: - Amigos vocês são bons! A TERRA e a humanidade jamais caíram nas mãos covardes dos deuses. Com amor de vocês e a esperança nos cavaleiros derrotaremos os deuses!
As pessoas começam a gritar e aplaudir de alegria. O irmão de Marin se alegra também. Neste momento surge Shina e Jabú de Unicórnio.
Shina: - Tohma você esta recuperado?
Tohma: - Olá! Sim estou... Você deve ser a Shina.
Jabú: - Onde você esta indo?
Tohma: - Vou ao Olimpo ajudar Seiya e os outros.
Shina: - Não diga bobagens... Como você entrará no Olimpo?
Tohma fecha os olhos: - Shina obrigado por sua preocupação. Mas eu vim do Olimpo e posso retornar até lá... Mas estou preocupado com Athena e os cavaleiros... Os deuses são muito poderosos e cruéis.
Jabú: - Espere ai! Mesmo você sendo irmão de Marin... Você serviu aos deuses! Você não estaria indo para atrapalhar?
Tohma: - Não! Já reconheci meu erro. Quando me joguei na frente de Athena para protegê-la da flecha de Ártemis.
Jabú: - O que? (Olha para baixo) Desculpe-me!
Tohma: - Tudo bem amigo! Agora tenho de ir.
Shina: - A subida até o Olimpo é longa terá de passar pelas 12 casas.
Tohma: Não se preocupem! Sou conhecido no Olimpo como Icarus!

Ele eleva seu cosmo e a imagem de Icarus surge atrás dele. Assim como as grandes asas. As pessoas, Shina, Jabu e Marin que abre a porta. Todos ficam impressionado com a beleza e encanto das asas.

Ele olha para sua irmã e diz: - Não se preocupe! Essa não é de cera!

Ele da um salto e voa para o Olimpo.



Na batalha entre Apollo e Hércules.

Apollo mesmo ferido: - Esse cosmo me lembrou por uns instantes do cosmo de ZEUS... Você herdou o cosmo dele não foi Hércules?
Hércules não responde.
Apollo: - Não quer falar... Mas senti neste ataque o cosmo dele... Junte-se a mim Hércules e poderemos juntos castigar a humanidade!
Hércules: - Não seja ridículo Apollo... Jamais terei em meu coração a vontade de destruir a humanidade e não permitirei que seja você ou Zeus a escravizar a humanidade!
Apollo: - Então aqui será seu túmulo!
Hércules: - Isso é o que veremos! Acabarei com você agora Apollo!

Mais uma vez Hércules parte para cima de Apollo. O mesmo ergue seus braços e nesse momento começa a elevar seu cosmo. Só que agora de uma forma muito intensa. Percebendo isso Hércules detém o ataque. E se assusta com tamanho cosmo de Apollo. Em suas mãos surge uma grande esfera radiante e em chamas como o sol. A radiação abre fendas no chão.
Hércules: - Mas que cosmo é esse? Estou... Estou sentindo algo me empurrando! O que é isso?
Apollo: - Essa é a pressão do Sol! Essa é a minha mais poderosa técnica. Meu cosmo esta no mais alto nível! Quando esse ataque for aplicado tudo num raio de mais de 5 km será destruído.
Hércules (Assustado): - Não posso ser derrotado aqui por Apollo. Tenho que resistir!

Hércules tenta se proteger. Mas esta sendo empurrado pela pressão do poderoso cosmo de Apollo. O chão começa a ser arrancado. A esfera sobre as mãos de Apollo esta ficando cada vez maior. Possui um brilho muito mais forte que a pequena esfera do primeiro ataque contra Hércules.

Apollo: - Hércules essa é sua sentença por ter se rebelado contra as ordens de Zeus. Mesmo você sendo um deus será destruído pelo meu poder. Essa explosão solar será indiscutivelmente mais poderosa. Você será desintegrado Hércules. Vingarei pelo que fez com Ártemis! (Uma pausa e ele olha de uma forma bastante diabólica) ESSE É SEU FIM!
{{{APOCALÍPSE SOLAR}}}

Um grande feixe de luz é emitido em várias direções. O chão a volta do deus sol é arrancado o mesmo acontecendo com as árvores. Como uma onda o chão lança Hércules para cima. Os feixes de luz o atingem inúmeras vezes como a revolução estelar de Mu. Ele começa a ser ferido nos braços e nas pernas. Sua armadura começa a ter rachaduras. Ele é extremamente castigado por Apollo. Esse ataque destrói tudo ao seu redor.

Na entrada do Templo de Apollo os cavaleiros param e olham mais uma vez uma explosão de um poderoso cosmo. A destruição vai até próximo ao belo jardim do templo. O Barulho é ensurdecedor.

Seiya: - Nossa, mas o que é aquilo?
Ikki: - Esse cosmo é completamente diferente daquele que sentimos antes.
Shiryu: - Será que Hércules esta lutando com algum inimigo?
Hyoga: - Mas esse não é o cosmo de Hércules...
Shun: - Mas de quem será?

No Templo do poderoso deus do Olimpo.

Zeus se levanta de seu trono e olha de uma forma surpresa... Porém logo em seguida fecha os olhos e diz: - Apollo... Você esta vivo posso sentir daqui seu poderoso cosmo... Mas por que tamanha fúria para destruir esse oponente? Deve ter destruído um dos cavaleiros de Athena...
Da uma grande pausa e fica pensativo.
E depois diz: - Athena por que se rebelaste contra mim? O que você vê de tão especial nesses humanos?

No extinto bosque.

Apollo estava observando tamanha destruição que ele causou. O local foi completamente dizimado. Ele olhava friamente para o local e nem sinal de Hércules. Ele se vira e sai andando e diz: - Hércules seu período de ser um deus não durou nada... Vou agora acabar com aqueles humanos insignificantes... Athena seu fim chegará!

O chão estava completamente destruído. Parecia mais que uma bomba tinha caído naquele local. A essa altura o deus sol já estava distante dali. De repente pequenas pedras começam a se mover. Uma mão muito ferida aparece e começa a se mover. E Hércules todo machucado se descobre de toda pedra e terra sobre seu corpo muito ferido. Permanecendo deitado ele diz com muita dificuldade: - Apollo ainda não foi dessa vez que você me venceu... Meu corpo pode estar ferido... Mas vou me recuperar e acabarei com você!

No templo de Apollo.

Eles estão na entrada do templo. Na parte superior estava escrito: Ἀπόλλων - APOLLO.
Shun: - Vejam! Apollo! (Apontando para a palavra)
Seiya: - Então não precisamos nos preocupar. Não haverá nenhum deus guardando esse templo.
Ikki: - Tudo bem! Vamos de pressa!

Os cavaleiros entram no templo em seu interior era repleto de quadros imensos com fotos de Apollo tocando sua Lira. O templo tinha um piso muito bonito e brilhoso e refletia a imagem do que estava ao seu redor. Mais a frente existia um trono dourado. Os cavaleiros observam tudo. De repente um som de uma música.
Ikki: - Escutem! Isso é um som de uma lira como a do guerreiro Mime!
Seiya: - Assim como a de Orfeu também. Então tem alguém guardando o templo de Apollo.
Shiryu: - Fiquemos atentos!
Hyoga: - Amigos! Vamos em frente essa música esta vindo daquela parte. Onde esta o trono.
Eles vão até lá. E neste local a música era mais forte.

Seiya se exalta: - Quem esta tocando essa lira? Apareça quem for?
Shun: - Minha corrente não se move será que a música esta fazendo isso?
Hyoga com Saori nos braços: - Apareça covarde mostre sua cara!

De repente o som da música não se é ouvido mais.

Uma voz masculina: - Então vocês são os cavaleiros de Athena que invadiram o Olimpo! E estão agora perturbando a paz no interior do templo do meu senhor e deus Apollo.

Daí que surge por de trás do trono um homem com barba aparentando ter uns 30 anos, vestindo uma armadura dourada e na sua mão uma lira.
Seiya diz apontando para ele: - Quem é você e o que faz no templo de Apollo?
Os cavaleiros ficam em posição de combate exceto Hyoga.

O homem: - Garoto! Vou responder sua pergunta, pois você. E seus amigos terão pouco tempo de vida... Pois vou mandá-los para o inferno... Por tirarem a paz desse lugar sagrado... Sou Midas servo e seguidor de Apollo.
Postar um comentário